Escolher um enxaguante bucal pode ser uma tarefa mais complicada do que você imagina. Tire todas as suas dúvidas com os tópicos abaixo!   

O enxaguante bucal é um importante aliado na nossa rotina de higienização bucal. Ele ajuda a complementar a limpeza feita com a escova e o fio dental, prevenindo cáries, gengivite, mau hálito e placa bacteriana, e deixando aquele gostinho refrescante na boca. Existem diversos tipos de enxaguante bucal disponíveis no mercado e muitas são as dúvidas referentes ao produto. Pensando nisso, preparamos este texto para te auxiliar e esclarecer alguns pontos. Vamos lá? 

Por que utilizar o enxaguante bucal? 

O enxaguante bucal é uma solução composta de substâncias químicas, utilizada como complemento à higienização com escova de dente e fio dental. Vale ressaltar que o produto não deve substituir nenhuma dessas etapas. Afinal, ele não remove a placa bacteriana dos dentes e da língua; ele atua apenas em sua prevenção.  

O enxaguante também serve para auxiliar alguns tratamentos e prevenir doenças bucais, como cáries e gengivite.  

Posso escolher meu enxaguante bucal? 

Não! O produto mais adequado e indicado para você é escolha apenas do seu dentista. O uso incorreto do enxaguante bucal pode acabar agravando problemas bucais que você tenha – e talvez ainda nem tenha identificado.  

Por exemplo, uma pessoa com gengivite pode começar a utilizar um enxaguante à base de clorexidina, excelente para evitar placa e gengivite. Porém, a longo prazo, o produto pode causar manchas nos dentes, na língua, em restaurações e próteses e até alterar o paladar e provocar feridas. Portanto, se o seu desejo é incluir um enxaguante bucal em sua rotina, consulte o seu dentista.  

Como saber se posso usar o produto? 

Em geral, os enxaguantes bucais não possuem contraindicações, a não ser que você tenha alguma lesão na boca.  

Enxaguantes que possuem álcool em sua composição não são muito recomendados, pois podem prejudicar a flora bucal, as bactérias “do bem” presentes em nossa boca. Além disso, ele pode causar câncer bucal em pessoas com vício em tabaco e álcool. Portanto, prefira utilizar enxaguantes sem álcool em sua composição.  

O produto deve ser usado quantas vezes por dia? 

A frequência vai depender muito da sua necessidade. Pessoas com periodontite, por exemplo, normalmente fazem uso pontual do produto. Mas, no geral, o recomendado é de uma a duas vezes por dia, sempre seguindo orientação profissional.  

Quais são os tipos de enxaguante bucal? 

Existem diversos enxaguantes, nas mais variadas composições, disponíveis no mercado. Abaixo trouxemos os principais: 

  • Com álcool: como dito anteriormente, seu uso não é muito recomendado, pois pode desequilibrar o pH bucal, agredir a mucosa oral e desgastar o esmalte dos dentes; 
  • Sem álcool: bastante recomendado por conta de sua segurança, pois não causa nenhum tipo de ardência ou efeito colateral na boca; 
  • Com flúor: é recomendado para quem possui alto risco de cárie. Ele interfere no metabolismo dos microrganismos da placa bacteriana e ajuda na remineralização do esmalte do dente. Dependendo da concentração, pode ser utilizado diária ou semanalmente; 
  • Com antisséptico: indicado para quem possui mau hálito ou acabou de realizar alguma cirurgia bucal. Por ser potente, só pode ser utilizado com a recomendação de um dentista.  

Os enxaguantes bucais podem ajudar – e muito – em nossa rotina de higiene bucal. Mas é importante reservar um tempo para conversar com o seu dentista, para que ele escolha a opção mais indicada e benéfica para você. Afinal, não queremos efeitos colaterais pela escolha de um produto que não atende às nossas necessidades, concorda?