Formato, cerdas, tamanho… Saiba qual é o tipo de escova ideal para uma limpeza eficiente

As escovas de dente são grandes aliadas na manutenção da nossa saúde bucal. Afinal, é por meio delas que garantimos não só uma higienização eficiente, como a proteção de nossos dentes e boca contra infecções.

Existem diversas opções de escovas disponíveis no mercado, e é importante ficarmos atentos à sua qualidade, formato, formas de conservação, entre outros pontos. É sobre isso que falaremos hoje.

Formato

Uma boa escova deve limpar de um a dois dentes por vez, além de alcançar todos os dentes, mesmo os que ficam no fundo da boca.

Dessa forma, as escovas com cabeça pequena e arredondada são as mais indicadas. Elas conseguem alcançar melhor as áreas mais escondidas, garantindo uma higienização eficiente.

Cerdas

Dê prioridade às escovas com uma boa concentração de cerdas. Elas devem ser macias e com acabamento arredondado, pois assim garantirão uma limpeza eficiente, sem machucar a gengiva e danificar o esmalte do dente.

Cabo

O cabo ideal é aquele que possibilita a execução dos movimentos de escovação da maneira correta. Cabos ergonômicos e emborrachados são uma ótima opção, pois fornecem maior precisão e segurança, evitando que você machuque sua boca.

Escovas ortodônticas

Se você usa aparelho, com certeza já ouviu falar ou utiliza esse tipo de escova. Suas cerdas são em formato de V, e ela foi planejada para realizar uma limpeza eficiente de dentes, bráquetes e fios.

A escova interdental também deve ser sua grande aliada. Ela é pequena, normalmente em formato cilíndrico ou cônico, e é ideal para realizar a limpeza entre os dentes, onde a escova comum normalmente não alcança.

Conservação

Jamais compartilhe sua escova

Quem nunca ouviu a expressão “vamos juntar as escovas de dente” quando duas pessoas vão se casar? Pois bem, essa é uma das coisas que, em hipótese alguma, não devem ser feitas. Quando as escovas são guardadas juntas, aumenta o risco de uma contaminar a outra. Assim, o ideal é guardá-las separadas, cada uma em um cantinho.

E duas pessoas usando a mesma escova de dente, nem pensar! As escovas podem se tornar uma ponte de bactérias, aumentando a chance de transmissão de doenças infecciosas.

Escovas em cima da pia do banheiro? Nem pensar!

Como muitos sabem, o banheiro é o cômodo com a maior presença de bactérias na casa. Essas bactérias podem transmitir diversas doenças, por exemplo, gengivite, periodontite, cáries, candidíase, entre outras.

Logo, o ideal é guardar as escovas fora do banheiro. Se isso não for possível, opte por mantê-las dentro de um armário fechado, sempre na vertical, e com protetor com furos para ventilação.

Faça a higienização antes e após o uso

O que muita gente não sabe é que as escovas também devem ser higienizadas antes do uso. O indicado é lavá-las em água corrente, e só então iniciar a escovação.

Em seguida, repita a higienização, pois assim você vai retirar restos de pasta de dente, saliva, alimentos e bactérias que ficam nas cerdas. Lembre-se de sempre retirar o excesso de água antes de guardá-las.

Porta-escovas e capinhas protetoras de cerdas também devem ser higienizados diariamente. Enxague-as em água corrente e, se preferir, utilize um pouco de enxaguante bucal para eliminar as bactérias.

Troque de escova a cada três meses

Ou antes, caso a escova apresente sinais de desgaste. Escovas com cerdas gastas e deformadas promovem uma escovação pouco eficaz e ainda acumulam muitas bactérias.

A substituição também deve ser feita após gripes, resfriados e infecções de garganta. Assim, os microrganismos causadores da doença não ficam alojados entre as cerdas.

Em suma, as escovas de dente são itens indispensáveis para a manutenção da nossa saúde bucal. Elas devem ser escolhidas com cuidado e devemos sempre estar atentos à sua conservação. Só assim conseguiremos manter uma limpeza eficiente, além de evitar doenças causadas por bactérias presentes nas escovas.